FANDOM


VHEM

Dinossauros e dodôs recomendam "venham pro paraíso dos animais extintos você também! VEM!" (ops, parece comercial de um certo banco aí...)

Cquote1Você quis dizer: SuicídioCquote2
Google sobre Movimento pela Extinção Humana Voluntária

Movimento pela Extinção Humana Voluntária, ou o popular matei-nos porque qui-lo é uma seita criada em 1991 com o objetivo de fazer com que os seres humanos simplesmente parem de foder (no sentido literal mesmo), e com isso impedir o surgimento de novos filhos. Com isso a humanidade iria simplesmente sucumbir pra extinção, e assim o ser humano iria desaparecer da face da Terra. Sendo assim, manja esse artigo? Pois é, daqui uns 50 anos provavelmente ninguém mais iria ler caso todo mundo entrasse nessa seita maluca. E assim acho que estou perdendo cruelmente meu tempo nessa budega. Bom, como eu não entro nessas babaquices, vou logo garantir uns 10 filhos pra impedir que ninguém leia esse artigo...

Como iniciou Editar

Isso depende da corrente pois a corrente religiosa e a corrente científica têm maneiras diferentes de explicar essa vontade da extinção voluntária da humanidade. Apesar de a seita ter começado em 1991, esse pensamento extintor já é mais antigo que a posição de cagar.

Corrente religiosa Editar

Quando Deus filho do Infinito criou o mundo, ele resolveu criar um serumaninho para brincar de The Sims. Usou um ''cheat'' para criar tal pessoa, e colocou o nome "Adão filho de Deus". Então ele teve uma nova brilhante ideia, e pediu um pedaço do corpo desse serumaninho criado. "Deus, não quero duvidar de nada que você faz afinal você é a divindade e eu sou só um homem de barro, mas será que esse negócio de procriação não vai dar fezes?" - aqui tinha nascido o pensamento extintor, mas não se teve sucesso. "Adão, não é por nada não mas o deus aqui sou eu, dê-me logo essa costela!". Então Deus criou a mulher, para Adão começar a procriar e povoar o mundo.

"Deus, todo poderoso, esse negócio não parece meio estranho pra você? Sei que você já tem tudo calculado e tal mas, tipo, nossos filhos transarão sexo com a Eva? Isso não vai uma merda muito grande na humanidade? Quando se cruza parentes com parentes acho que não fica uma coisa boa, sabe?" - Definitivamente, Adão foi a primeira pessoa a ter o pensamento da extinção humana voluntária, mas Deus tava mesmo a fim de povoar o planetinha. Depois Eva comeu uma maçã sob o olhar sanguinário de uma cobra <s>vigia</s> voyeur e a humanidade tomou no redondo enrugado. Ninguém quis ouvir Adão, deu nisso.

Corrente científica Editar

Para os adeptos das ciências, a vontade de extinção humana voluntário surgiu quando o macaco tava começando a virar humano. Quando um macacão peludo começou a precisar usar roupa e ferramentas de pedra, o planeta Terra começava a adquirir um vírus mortal chamado homem. Um dos macacos que estava evoluindo até quis avisar os parceiros de evolução que seria melhor dar um mortal de costas na seleção natural, deixar rolar, não procriar mais, porque os novos modelos evolutivos estavam vindo com menos pelos e com o pênis menos vermelho e enrolado.

Apesar do bom argumento de nunca mais fazer sexo, ninguém quis dar atenção pois só queriam aproveitar aquele resto de DNA selvagem para realizar as maiores obras sexuais já vistas. Infelizmente, o homem não parou mais de evoluir (ou involuir) desde então, e hoje o planeta padece porque ninguém quis dar bola à ideia da extinção humana voluntária.

Desenvolvimento da ideia Editar

Tendo bons argumentos, tanto religiosos quanto científicos, algumas pessoas ao longo da história começaram a desenvolver melhor essa ideia de nunca mais procriar. Na Grécia até quase conseguiu-se extinguir a população quando inventaram algo chamado homossexualismo, que consistia em sexo que não tinha a menor chance de reprodução. Porém, no Império Romano, já havia virado um bacanal com direito a sexo inter-racial entre os romanos e os colonizados, assim, a população só aumentou e a extinção voluntária da população mundial ficava cada vez mais distante.

Na Idade Média a coisa só piorou, e só foi se pensar novamente na ideia da extinção da humanidade já no século XX, com Adolf Hitler, porém não seria mais algo voluntário; poucos se voluntariaram a passar uns dias num campo de concentração ou em câmaras de gás, então Hitler teve que voluntariar gente que não queria.

Finalmente, em 1991, a seita começou a reviver os ideais "extincionários" voluntários. Nessa época, com o surgimento dos jogos online, os jogadores aderiram a ideia de nunca mais procriar. Na verdade eles já estavam fazendo isso desde que nasceram, então ali foi só uma desculpa pra cabacice acumulada. Hoje há um grande número de seguidores da ideia extintora voluntários desse vírus maldito chamado ser humano.

Criação do movimento Editar

Normalmente tudo o que tem movimento no nome (movimento sem terra, movimento de translação, movimento retilíneo uniforme) costuma ser um problema. Com o movimento pela extinção humana voluntário é diferente; eles só querem que os humanos sejam eliminados da face da Terra, tipo dois estalos do Thanos. Segundo o fundador do movimento, Les Knight, cada pessoa que nasce é um fardo para o planeta; cada ser humano que nasce é três macacos que morrem no Brasil, seis golfinhos que morrem afogados no Pacífico, quatro insetos que desaparecem e um chinês que morre quando o Chaves respira.

Motivado pelas correntes religiosas e científicas, Les Knight juntou outros niilistas anti-humanos e criou esse movimento ecológico com jeito de seita cultista ao apocalipse, e depois espalhou sua mensagem de fé na extinção pelos cantos. "Você quer conhecer a palavra de nosso senhor Friedrich Nietzsche?" dizia Les às pessoas, de casa em casa. Foi uma péssima forma de divulgar a palavra do nada no começo, mas depois ele melhorou na abordagem. Fazia festas openbar convidando o pessoal a se juntar à sua religião ecológica anti-humanidade, criou programas de televisão pra divulgar sua missão extintora, até na política ele entrou, e tudo isso apenas com o objetivo de conscientizar os seres humanos que eles são um lixo que deve ser reciclado.

Não é uma tarefa muito simples chegar pra uma pessoa e dizer que ela está cagando o planeta, mas Les Knight é persistente. Para Les, o ser humano é um câncer tão destrutivo que consegue ser pior que um câncer no cu. "Os humanos devem ser eliminados da Terra, mas de uma forma natural" diz Les. Mas quanto aos animais? "Os animais que se fodam! Mas no bom sentido da palavra, se foder, sabe...? Foder para procriar, ter relações, eles sim que se fodam, já nós humanos devemos parar de foder" afirma Les.

Espalhando a palavra Editar

Jim Jones microfone

Um possível líder do movimento para a extinção humana voluntária.

Após a criação da seita ecológica do Movimento pela Extinção Humana Voluntária, os devotos teriam que espalhar a palavra de extinção, principalmente nos lugares que mais procriam em todo o mundo, por exemplo, Índia e Sertão brasileiro.

Na Índia sugeriram que em vez de relações sexuais as pessoas começassem a meditar mais. Mesmo sem sexo, apenas meditando, no puro celibato, ainda assim as indianas geravam prole, não se sabe como é possível, se é milagre de Ganesha ou alguma poluição muito doida no Rio Ganges. Assim, os devotos da Nossa Senhora da Inexistência Humana desistiram da Índia.

No sertão brasileiro, tentaram convencer também as pessoas a não mais praticar amor, apenas jogos emocionante como caça à água e pique esconde da seca. O cortador de palma Raimundo Nonato, o criador de boi magro Raimundo Nonato e o garimpeiro de areia Raimundo Silva Nonato até concordaram em parar de procriar, mas só depois do vigésimo filho. Já a dona de casa Raimunda Nonata colocou os devotos pra correr. Se não tiver filho, quem vai coçar suas contas e limpar a casa, pensou Raimunda.

O que levaria um ser humano a apoiar a autodestruição da espécie? Editar

Não sei. Acho que pessoas que têm aderido a esse tipo de conceito é puramente gente com crises de falta de uma boa rodada de cerveja. Mas é cerveja, não Itaipava, por favor! Afinal tomar esse tipo de nojeira demonstra claramente um baita motivo pra extinguir a humanidade.

Olha aí, descobri um baita motivão!

Pensando bem, motivo é que não falta. Quando se abre o Facebook e se sente igual ao João da nica, não sabe se vai pra um lado ou outro, mas pra onde for dá errado. E no fim de tudo chega à conclusão que é uma baita putaria sem noção, todo mundo fica querendo xingar e esculachar um com o outro e termina com a turma querendo se matar por causa de um bocado de velho sacana querendo catar a grana de geral.

Outros motivos... bem, tem gente que faz a mesma coisa pra matar quem não gosta de Minecraft, BTS ou como que se fala o termo dacuéba no aumentativo. Pessoas que discutem por motivos assim ou afins com certeza são dignas de uma extinção forçada. E quando descobrimos que nossos possíveis filhos têm a capacidade agilíssima de cair nesse mesmo carma, não é preciso muito pra se perceber que você perdeu tempo demais da sua vida fazendo campanha na internet contra o aborto.

Outros possíveis motivos motivacionais motivadores da desmotivação da existência Editar

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.